quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Futuro ministro pagou motel com verba parlamentar

O futuro ministro do Turismo no governo de Dilma Rousseff pediu à Câmara dos Deputados o ressarcimento por despesas em um motel de São Luís (MA). Indicado pelo comando do PMDB e aliado de José Sarney (AP), o deputado Pedro Novais (PMDB-MA) apresentou uma nota fiscal de R$ 2.156,00 do Motel Caribe na prestação de contas da verba indenizatória de junho.
O motel fica a 20 quilômetros do centro de São Luís. A suíte mais cara, que leva o nome Bahamas, tem garagem dupla e custa de R$ 98 (três horas) a R$ 392 (24 horas). Segundo a gerente do local, o deputado Pedro Novais alugou um quarto para fazer uma festa. Ao jornal O Estado de S. Paulo, o parlamentar admitiu que o dinheiro da Câmara foi usado para pagar um motel. Ele considerou o episódio um "erro".
Parlamentar do chamado "baixo clero" da Câmara - ou seja, com pequena influência política na Casa -, Pedro Novais, de 80 anos, foi convidado por Dilma Rousseff no dia 7 de dezembro para o ministério após ser indicado pela cúpula do PMDB. Como deputado, ele recebe, além do salário, R$ 32 mil mensais a título de verba indenizatória para arcar com despesas do mandato. Um dinheiro limpo, livre de impostos.
Para justificar parte das despesas dessa verba em junho, Novais entregou à Câmara a nota fiscal de número 7.058 do Hotel Pousada Caribe Ltda., razão social do Motel Caribe. O endereço do CNPJ registrado na Receita Federal e na nota fiscal apresentada pelo deputado é a Rua da União, 16, Turú, São Luís, onde funciona o motel. Os parlamentares são obrigados a prestar contas dos gastos com verbas indenizatórias.
Em nota enviada ontem à noite ao jornal, o deputado Pedro Novais reconheceu o pagamento de um motel com o dinheiro da Câmara. Ele alegou que foi um erro e informou que "o erro será corrigido", disse. Segundo ele, o dinheiro foi usado para hospedagem de assessores e aliados políticos em São Luís. "Alertado pelo jornal O Estado de São Paulo, o deputado pediu uma auditoria nessas prestações de contas. Foi descoberta a inclusão indevida de uma nota fiscal de hospedagem do Hotel Pousada Caribe (Motel Caribe)".
Fonte: Portal R7.com

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Salário do Deputados, Senadores, Ministros e Presidente da República


AUMENTO  DOS  DEPUTADOS , SENADORES,PRESIDENTE DA REPÚBLICA E MINISTROS

                          PRESIDENTE DA REPÚBLICA
          ANTES                            HOJE                                      AUMENTO
  11.400,00                        26.723,13                                     134,41%

                        DEPUTADOS  E  SENADORES
16.500,00                         26.723,13                                        61,95%

                         MINISTROS
10.700,00                         26.723,13                                      149,79%


                   SALÁRIO  MÍNIMO
510,00         540,00 (PREVISTO PARA JANEIRO de 2010)          5,88%


 ISTO É UMA VERGONHA.

Investigações da PF comprovam que Cleber Verde e Edson Araújo usaram o seguro defeso em suas campanhas

 O Ministério Público Eleitoral, por intermédio da Procuradora Regional Eleitoral, Carolina da Hora, pediu ontem a cassação dos diplomas que os deputados eleitos Cleber Verde (federal) e Edson Araújo (estadual) receberão hoje do TRE, conforme informação publicada aqui em primeira mão.
O MPE se baseia nas investigações realizadas pela Polícia Federal que constataram a prática vedada de ambos no processo eleitoral. Além disso, pede ainda a inelegibilidade dos dois e do superintendente federal de Pesca e Aquicultura no Maranhão, Jesuino Cordeiro Mendes Júnior que é irmão do deputado federal Cleber Verde. Este último deve ser exonerado do cargos nos próximos dias.
De acordo com a Procuradoria regional Eleitoral no Maranhão, a Ouvidoria do TRE local recebeu a denúncia de que o Jesuino Júnior estaria utilizando a estrutura do mencionado órgão público federal em benefício do irmão.
Ele, conforme, conforme a representação do MPE, “estaria também realizando o aliciamento de eleitores, especialmente pescadores”.
A Ouvidoria, então, enviou ao TRE as denúncias e este para a Procuradoria, que solicitou à Polícia Federal a realização de diligências investigatórias.
Daí, o Núcleo de Inteligência da PF produziu a Informação Policial número 008/2010-NIP/SR/DPF/AM, a qual informa que no dia 19 de setembro deste ano, na sede da Asfem, no bairro Filipinho, realizou-se reunião da Colônia de Pescadores Z-10 Almirante Barroso.
A reunião tinha por objetivo tratar de assuntos relacionados ao seguro defeso, benefício do INSS, empréstimos do PRONAF e oferecimento de prestação de contas.
Os policiais, diz o relatório, chegaram ao local por voltas das 9h da manhã e na oportunidade observaram um grande número de pesoas, organizadas em enormes filas para assinarem um livro de ata.
Conforme a PF, as pessoas chegaram ao local transportada em veículos pequenos e ônibus que exibiam cartazes com propaganda eleitoral dos então candidatos Cleber Verde e Edson Araújo.
Após as assinaturas, as pessoas eram encaminhadas para um auditório, onde constavam cartazes dos dois candidatos, sendo que no material de propaganda do último constava a expressão “O candidato dos Pescadores”.
No momento, foram distribuídos inúmeros santinhos da dupla, tendo os policiais federais, infiltrados ao encontro, recebidos também as propagandas.
Além dois dois candidatos, estavam presentes o irmão de Cleber Verde e representantes de colônias de pescadores de vários municípios.
Conforme os policiais federais, o objeto da reunião limitou-se à realização de ato de propagandas eleitorais dos candidatos presentes, sendo que todos os que usaram a palavra pediram votos para eles.
Outro fato grave notado pelos federais foi o uso do carro oficial, um Ford Ranger, de placas JJU-7681, de propriedade do Ministério de Pesca e Aquicultura, presente ao local.
A reunião durou cerca de 3h e no encontro não foi tratado nenhum tema de interesse dos pescadores. Todos os discursos foram gravados pela Polícia Federal, que estão encartados nos autos.
A enorme quantidade de pessoas que ocorreram ao evento, a distribuição farta de material de propaganda, os veículos com propaganda eleitoral, a presença do veículo oficial e dos candidatos, e os discursos de campanha foram devidamente documentados por meio de fotografias pelos policiais federais.
Uma comissão de correição do Ministério de Pesca e aquicultura esteve na sede da Superintendência Federal no Maranhão e não encontrou irregularidades, mas colheu depoimentos de um dos servidores que comprova o envolvimento do irmão de Cleber Verde na campanha dos candidatos.
Na ocasião, a referida comissão sugeriu o aprofundamento das investigações na emissão de 300 carteiras de pescadores emitidas sem que tenham sido localizados os respectivos processos.
Além disso, depoimento tomado de manoel João Filho relata a utilização indevida do benefício seguro defeso em  favor dos dois candidatos, sem contar com uma série de denúncias de anônimos ao Disque Denúncia do Centro de Inteligência da Polícia Federal.
Por outro lado, a Promotoria de São Vicente de Férrer encaminhou peças investigativas relativas à reunião organizada pela Colônia de Pescadores de Cajapió (Z-45), no Centro Comunitário de Cajapió, no dia 4 de setembro, onde o assunto a ser discutido seria temas relacionados aos interesses dos pescadores, mas acabou se transformando em ato de campanha dos dois candidatos.
Por último, a Superintendência do Trabalho e Emprego do Maranhão enviou ofício mostrando um aumento significativo do número de requerentes ao seguro-desemprego do pescador artesanal em nosso estado. Passou de 20.926 no seguro defeso no período de 2006 a 2007 para 76.524, um aumento médio correspondente a 265%. E mais: havia uma previsão para o próximo defeso de mais de 100.000 pescadores credenciados, sendo constatado que em alguns municípios o número de pecadores ultrapassa a população economicamente ativa.
No caso específico do seguro defeso, o Ministério de Pesca e Aquicultura, do qual o irmão de Cleber Verde é o representante no Maranhão, tem competência para inscrever os pescadores que poderão obter o benefício custeado pelo poder público.
Em razão do exposto, o MPE concluiu que houve uso promocional do serviço de caráter social, consistente na concessão do seguro defeso em favor dois dois candidatos.
O pedido de cassação dos diplomas de Cleber Verde e Edson Araújo foi encaminhado ontem mesmo ao corregedor Regional Eleitoral do TRE, desembargador José Joaquim Figuereido dos Anjos.         
Blog é Processado
 Amanhã, o titular do blog estará em audiência para responder ao processo movido pelo deputado eleito Edson Araújo por calúnia e difamação contra o parlamentar. O blog denunciou a maracutaia assim que encerrou a eleição, afirmando que a PF estava investigando Araújo.
Ele alega que o blog falta com a verdade e pede, por danos morais, R$ 20,4 como punição. E mais: que já não consegue mais dormir em paz depois das denúncias, sendo obrigado a tomar calmantes.
Imagina agora, senhor deputado, depois que a verdade veio à tona.

Do Blog do Luis Cardoso.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Confraternização da Banca do Chico
















Ontem aconteceu mais uma confraternização da Banca do Chico, com é tradicional vários amigos se reuniram ontem para a tradicional confraternização da Banca, curioso foi o grande número de torcedores do Fluminense que compareceram.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Brasil melhora no PISA, Maranhão penúltimo colocado.


Brasil melhora média, mas fica entre piores em ranking de ensino da OCDE( Organização para Cooperação Econômica e Desenvolvvimento), através do PISA ( Programa Internacional de Avaliação de Estudantes)
Exame avalia conhecimentos de leitura, matemática e ciências.
Piores resultados são de alunos de escolas públicas estaduais e municipais.

Apesar de registrar melhora na educação, o Brasil segue entre os piores colocados em ranking internacional de ensino, divulgado nesta terça-feira (7). O país ficou com a 53ª colocação entre 65 países no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), elaborado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).
Feito com estudantes nascidos em 1993 matriculados em qualquer série a partir da 7ª série (8º ano) do ensino fundamental, o ranking é divulgado a cada três anos. Em 2009, avaliou 470 mil estudantes. Desse total, 20 mil eram brasileiros.
O Pisa avalia conhecimentos de leitura, matemática e ciências dos adolescentes. O Instituto de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão do Ministério da Educação (MEC), é quem aplica a prova no Brasil.
saiba mais
Com a média geral de 401 pontos, o Brasil ficou atrás de países como Bulgária, Romênia e os latino-americanos México, Chile e Uruguai. Fica à frente apenas da Colômbia, Kazaquistão, Argentina, Tunísia, Azerbaijão, Indonésia, Albânia, Catar, Panamá, Peru e Quirguistão.
O país ficou bem abaixo da média da OCDE, de 496 pontos. Os cinco melhores colocados são China (Xangai), com 577 pontos, Hong Kong, com 546, Finlândia e Cingapura, com 543, e Coréia do Sul, com 541.
Em relação às provas anteriores, o Brasil melhorou. O país teve média geral de 368 pontos em 2000, 383 em 2003 e 384 em 2006 e está entre os três que mais evoluíram desde 2000, atrás apenas de Luxemburgo e Chile. A melhora ocorreu também nas áreas de conhecimento avaliadas.
A melhor pontuação em 2009 foi de leitura, com 412 pontos, seguida por ciências, com 405 e matemática, com 386. Na área de leitura, que teve ênfase em 2009 na avaliação, o Brasil mostrou melhora de 19 pontos de 2006 para 2009, após cair dez pontos de 2003 para 2006.
De forma geral, segundo o ranking, as meninas tiveram desempenho melhor do que os meninos, com 403 pontos, contra 399. E o forte das alunas é a leitura.


Veja a tabela completa com a pontuação dos estados:
Estado
Média geral
Leitura
Matemática
Ciências
Distrito Federal
439
449,4
 
424,8
442,6
Santa Catarina
428
438,1
 
411,9
 
434,8
 
Rio Grande do Sul
424
433,1
 
410
 
428,5
 
Minas Gerais
422
430,6
 
407,5
 
428,6
 
Paraná
417
423,2
 
405
423,5
 
Espírito Santo
414
423,6
 
397,3
 
421,3
 
São Paulo
409
424,4
 
390,4
 
411,6
 
Rio de Janeiro
408
419,8
 
392,9
 
411,5
 
Mato Grosso do Sul
404
413,8
 
389,5
 
408,7
 
Goiás
402
412,3
 
385
 
409
 
Rondônia
392
398,7
 
379,1
 
397,7
 
Mato Grosso
389
398,5
 
378,8
 
390,6
 
Paraíba
385
390
 
376,3
 
388,5
 
Bahia
382
391,5
 
368,7
 
384,3
 
Tocantins
382
390,7
 
363,4
 
392,2
 
Pernambuco
381
389
 
368,3
 
384,4
 
Amapá
378
390,4
 
365,3
 
378,2
 
Ceará
376
381,4
 
361,2
 
385
 
Pará
376
383,4
 
362,8
 
381,8
 
Roraima
376
383,6
 
358,8
 
384,6
 
Piauí
374
377,7
 
364,2
 
380
 
Sergipe
372
379,3
 
358,8
 
378,5
 
Acre
371
383,2
 
350
 
379
 
Amazonas
371
386,6
 
353,2
 
373
 
Rio Grande do Norte
371
383,5
 
360,2
 
369,4
 
Maranhão
355
363
 
341,1
 
362,3
 
Alagoas
354
362,6
 
347,6
 
352,7
 
Brasil
401
412
386
405

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

BOLSA FAMÍLIA






A Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Vigilância Epidemiológica, comunica aos beneficiários do Programa Bolsa Família, na faixa etária de 0 à 7 anos e as mulheres entre 14 e 44 anos, que deverão comparecer ao Posto de Saúde, mais próximo de sua residência ou sede do Programa Bolsa Família, levando o cartão do Bolsa Família e a carteira de vacinação, afim de serem avaliados quanto ao peso e altura, bem como os casos necessários receberem a suplementação de vitamina A e Ferro.

Ressaltamos que o não comparecimento até o próximo dia 17 de Dezembro de 2010, implicara na suspensão do repasse dos recursos, aos beneficiários.


Prefeitura de Imperatriz

Secretaria Municipal de Saúde

Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

No Reino da Miséria eles fazem Festa

 












 Roseana em Festa


NO REINO DA MISÉRIA ELES AINDA FAZEM FESTA
A miséria é uma realidade antiga. A novidade é ela se tornar tema, gerar escândalo. Luís LVI estava consciente da miséria que grassava na França, mas nada o impedia de prodigar luxo a si mesmo e aos seus próximos.

No Maranhão do século XXI não é diferente. Pesquisa por Amostragem de Domicílios informa 69% dos maranhenses a beira da fome. Roseana Sarney como Luís LVI sabe destes dados, mas patrocina festas luxuosas de Pergentino Holanda para seu deleite e dos apaniguados.

Vitor Hugo em "Os Miseráveis" aborda o tema por um ângulo preciso, o da mudança do olhar. Vitor Hugo por volta de 1840 freqüentava os poderosos, mas ainda é ingênuo no tocante a pobreza. E exemplo disso é que o incomode um novo olhar dos pobres sobre os ricos_ do lado de fora de uma cerca_ olham com rancor para o luxo que ostentam nas roupas, nos comes e bebes dos privilegiados. Comenta Hugo " Eles não entendem que o consumo suntuário dos ricos que lhes dá renda e emprego".

Pergentino Holanda conhecido nababo da família Sarney, tendo as festa que realiza citadas em investigações como ponto de encontro de "colarinhos brancos", promove no dia 7 de dezembro "Festa de Gala" no Hotel Pestana, noite de vestidos longos e ternos escuros para comemorar mais um ano de "atividades" do dito. Roseana Sarney, madrinha do evento deve ter os mesmos argumento de Vitor Hugo.

No reino da miséria o Maranhão disputa sede com Uganda ou Somália. Roseana Sarney sabe que a miséria existe, mas como declarou em debate eleitoral, nada pode fazer ou lhe foge a visão de como fazer. Flávio Dino é de opinião contrária, dizendo sermos um Estado rico o que nos empobrece é a malversação do recursos públicos.

Certo é que Pergetino Holanda, Teresa Martins e Cintia Klamt apuram os detalhes para transformar o Pestana em Versalhes. A nossa realidade vem como qualquer outra da ficção, a diferença é retroagirmos sempre no tempo e costumes.
      
César Bello

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Padre Assassinado, não é só em Imperatriz que matam padre.

Morros – O padre Bernardo Muniz Rabelo Amaral, de 28 anos, foi vítima de um latrocínio (assalto seguido de morte) na tarde de sábado, durante um latrocínio entre os povoados Mutum e Quebra Anzol, no município de Humberto de Campos. O padre era natural de Morros, mas trabalhava como vigário paroquial da Paróquia de São José do Periá, em Humberto de Campos. O autor do crime foi identificado como Fabrício.
O crime aconteceu na BR-402. O assassino disparou cinco tiros em direção ao padre e dois o atingiram: um no pescoço e outro no tórax. O autor do crime ainda arrastou o padre por uns 30 metros e o espancou. O bandido evadiu-se do local, levando o veículo no qual o padre estava, uma picape S-10, mais R$ 400,00 em dinheiro e um celular de dois chips. Conforme a polícia, Fabrício cumpria liberdade condicional.
Fotos: Flora Dolores/O Estado Maranhão
Após o crime, padre Bernardo foi socorrido por um cidadão conhecido como Bibil e trazido para o Hospital São Domingos, em São Luís. Ele chegou ainda consciente na capital, por volta das 18h, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta das 21h. “Isso é revoltante. Nós ficamos impotentes depois disso”, declarou a irmã do padre Bernardo, Verônica Muniz Amaral, de 30 anos. No hospital, o padre ainda conversou com amigos e familiares, como o padre Ribamar, da Paróquia de Santo Amaro.
Bernardo era o filho mais novo do casal Osmar Lima Amaral e Maria de Fátima Muniz Rabelo Amaral e tinha cinco irmãos. Antes de morrer, ele falou a familiares que tinha esperança de sobreviver.
Crime
Conforme informações de testemunhas, o padre estava sábado em Mutum participando de uma Assembléia de Párocos da região, da qual era um dos organizadores, quando teve de se deslocar à tarde ao povoado Quebra Anzol, para buscar integrantes do Ministério de Música da cidade de Chapadinha. Os integrantes da banda realizariam um espetáculo religioso durante o encontro. O padre foi sozinho no veículo S-10, de uso da Paróquia de São José do Periá.
Chegando ao povoado Quebra Anzol, o padre foi informado de que os membros do Ministério de Música não haviam conseguido chegar ao local a tempo. Ele então pediu a algumas pessoas do povoado que transportassem os músicos a Mutum assim que eles chegassem e voltou para a Assembléia de Párocos. Mas na saída de Quebra Anzol, “Fabrício” pediu uma carona com destino à cidade de Humberto de Campos.
O padre, que estava sozinho, atendeu ao pedido e levou o homem em seu veículo. No percurso entre os dois povoados, o homem, armado com um revólver calibre 38, deu voz de assalto contra o religioso. O padre não reagiu e entregou os pertences pessoais ao bandido. Mesmo assim, o autor do crime, disparou um primeiro tiro no pescoço do padre e o mandou deixar o veículo em que ele estava.
Quando o padre saiu da S-10, o autor do crime disparou mais quatro tiros em direção ao religioso. Um deles pegou no tórax. Depois, ainda espancou o religioso. O padre ficou caído no meio da via e o bandido levou o veículo e os pertences do religioso. Algum tempo depois o sacerdote foi socorrido pelo cidadão conhecido como Bibil e trazido para o hospital São Domingos, em São Luís.
Buscas
O caso está sendo investigado pela Delegacia de Humberto de Campos, comandada pela delegada Lília Maria Parussolo, e pela Delegacia de Morros, cujo titular é Dicival Gonçalves. As buscas pela região começaram ainda na tarde de sábado, continuando ontem, mas sem sucesso.
Segundo o delegado Dicival Gonçalves, o suspeito de ter cometido o crime é ex-presidiário e estava cumprindo prisão condicional por crime de homicídio. “Infelizmente, ele [o padre] foi vítima da própria bondade”, classificou o delegado. Equipes da Superintendência de Polícia da Capital também estão na região do Munim realizando buscas para capturar o autor do crime

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Acusados da Morte do Prefeito Renato Moreira vão a Julgamento

Damião Benício dos Santos e Ronaldo Machado Arantes, dois dos acusados de participação na trama que resultou no assassinato, em 1993, do então prefeito de Imperatriz, Renato Cortez Moreira, serão julgados pelo Tribunal do Júri. Nesta quinta-feira, 18, a 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) negou provimento a recurso dos denunciados e manteve sentença do juiz José dos Santos Costa, que decidiu submeter os réus ao júri popular.
Ex-prefeito Renato Cortez
Moreira

Outro denunciado como mandante do crime, o ex-prefeito Salvador Rodrigues de Almeida, foi condenado a 18 anos e 9 meses de reclusão no dia 6 de outubro passado, exatamente 17 anos depois da morte de Moreira. Ele foi julgado por júri popular presidido pela juíza Samira Barros Heluy, titular da 5ª Vara Criminal de Imperatriz. A juíza concedeu ao réu o direito de recorrer em liberdade, por não se encontrarem presentes as razões da custódia preventiva.
Salvador, que chegou a assumir a prefeitura depois do crime, era vice-prefeito quando Moreira foi assassinado com dois tiros no mercado municipal, no centro da cidade. As balas atingiram o pescoço e o peito da vítima. Consta nos autos que o autor dos disparos foi Antônio Conceição da Silva. O crime teria motivações políticas e econômicas.
Segundo o processo, Geraldo Hipólito da Silva, proprietário da empresa de transporte coletivo Imperial e também denunciado à época, teria dito que Damião, Ronaldo e outro denunciado, não submetido a julgamento do júri popular por falta de provas, teriam planejado a execução do crime em várias reuniões realizadas no interior de sua empresa.
As defesas de Damião e Ronaldo alegavam, preliminarmente, nulidade da instrução processual e da sentença de pronúncia, tendo em vista decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que ordenou que fossem anulados todos os atos decisórios praticados entre 04 de maio de 1994 e 1º de janeiro de 1997. Também argumentaram não haver provas do envolvimento dos dois no crime.
Relatora do recurso, a desembargadora Maria dos Remédios Buna concordou com a sentença de primeira instância. A magistrada observou que o STF limitou a invalidade aos atos decisórios, procedidos pelo juiz. Este indicou não existir nulidade para recebimento da denúncia e atos da instrução processual. Os desembargadores Raimundo Nonato de Souza e José Luiz Almeida também rejeitaram as preliminares.
No mérito, de acordo com parecer da Procuradoria Geral de Justiça, a relatora e os outros dois desembargadores consideraram adequada a sentença de 1º grau, por existência de indícios de culpa, e negaram provimento ao recurso dos réus, mantendo a decisão para que sejam submetidos a julgamento pelo Tribunal do Júri Popular.
(As informações são do Tribunal de Justiça).

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Povo pobre, governador rico

Patrimônio de Roseana Sarney cresceu mais de 4 mil por cento em quatro anos

15 novembro 2010 No Comment
Os 27 governadores eleitos no mês passado declaram à Justiça Eleitoral uma fortuna de R$ 63,53 milhões em patrimônio pessoal. Na média, cada chefe de executivo estadual tem R$ 2,35 milhões em bens.
Ao menos 14 deles informaram ter patrimônio acima do R$ 1 milhão. O mais rico deles é o governador reeleito de Alagoas, Teotônio Vilela Filho (PSDB), que apresentou declaração de bens que soma R$ 14,62 milhões.
Levantamento feito na base de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostra ainda que oito governadores eleitos apresentaram evolução patrimonial superior a 200% nos últimos anos. Neste caso, a líder é a governadora também reeleita do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB). Em 2006, a declaração dela listava 15 bens, mas informava apenas o valor depositado em seu fundo de previdência privada: R$ 172.734,71 – em valores corrigidos. Para esta eleição, Roseana apresentou declaração com 25 bens e valor total de R$ 7.838.530,34. O crescimento foi de 4.437,90% em quatro anos.
As Alagoas de Teotônio e o Maranhão de Roseana ocupam a 25.ª e a 26.ª posição, respectivamente, no ranking do Produto Interno Bruto (PIB) per capita dos Estados, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dois Estados também estão nas duas últimas posições do ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que lista indicadores na área de Educação, renda e expectativa de vida.
Entre os governadores eleitos que tiveram expressiva evolução patrimonial, também destacam-se o de Rondônia, Confúcio Moura (PMDB), e o do Acre, Tião Viana (PT). Prefeito eleito de Ariquemes em 2008, Moura informou à Justiça Eleitoral na ocasião ter patrimônio de R$ 385.775,34, em valores atualizados. Agora, apresentou declaração de R$ 8.554.881,14. Crescimento de 2.117,58%. Quando se elegeu para o Senado em 2006, Viana disse ter patrimônio de R$ 28.794,65. Agora, passou para R$ 551.098,50, avanço de 1.813,89%.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Acaba a Rebelião em Pedrinhas



Acabou agora há pouco no anexo do Complexo Presiário de Pedrinhas a rebelião dos presos que já durava mais de 40 horas, os presos entregarma as armas e libertaram os reféns. A rebelião teve um saldo de 14  mortes, sendo três deles decapitados.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Morte em Pedrinhas pode chegar a 14.



Pelo menos nove detentos foram mortos nesta segunda-feira durante rebelião no anexo do Presídio São Luís, no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Três deles foram decapitados. Todos os mortos tiveram os pênis decepados, o que indicaria que as vítimas seriam estrupadores. Informações ainda não oficiais dão contam que o número de mortos pode chegar a 14. Cinco agentes penitenciários estão reféns.


Cerca de 200 presos aderiram ao motim, que acontece desde as 9h. Os detentos mortos foram identificados como: Neguinho do Barreto, Guri, Negão, Cleiton, Elisangelo, Chiquinho, Dragão, Isaque, Eromar. Em 2001, numa rebelião parecida, Carlos Magno Araújo da Silva, o “Carlinhos Chupão”, foi morto dentro do presídio e teve a cabeça decepada.
A rebelião teve início após o descuido de um agente penitenciário durante a revista. Os presos conseguiram dominar o funcionário e tomar a arma dele, que acabou sendo baleado. No anexo do Presídio São Luís estão, aproximadamente, 80 detentos, entre sentenciados e provisórios.
Os presos prometem acabar a rebelião somente nesta terça-feira. A negociação, que estava sendo conduzida por representantes da Secretaria de Segurança Pública, Ministério Público, Judiciário e OAB/MA, foi suspensa pelos rebelados.
Em conversa com a imprensa, os detentos disseram que reivindicavam a melhoria no abastecimento de água – segundo a secretaria, o problema foi resolvido há uma semana -, transferências, já que muitos estavam ficando junto com inimigos, e divergências com o diretor da unidade. Ou seja, as reivindicações são muito fracas para o grau de violência ocorrido na rebelião.
“Nós nos comprometemos a analisar todas as questões colocadas por eles, mas quando já estava tudo certo, um outro detento discordou e voltou tudo à estava zero. Agora, a situação está mais complicada”, disse o juiz Jamil Aguiar.
(Com informações do imirante.com/Foto: Biné Morais/O Estado Maranhão).